Post Page Advertisement [Top]


Houve uma época da minha vida em que eu quis meu cabelo super curto e outras que eu quis que ele crescesse o máximo que eu conseguisse. Já quis mudar de país e morar fora para sempre. Já mudei de Estado e chorei querendo voltar para “casa”. Já briguei com amigos que eu jurei nunca mais falar e um tempo depois estava rindo com ele de novo. Já defendi causas que hoje não aprovo, já aplaudi coisas que hoje me envergonho, já me envergonhei de coisas que hoje me orgulho e já fiz coisas que disse que nunca teria coragem de fazer, mas fiz.

Essa é uma das características de se estar vivo, mudanças de ideias, de pensamentos, de opiniões, somos seres que estão sendo moldados, é normal mudarmos de ideia, não é mesmo?

Ou será que não?

Uma vez eu li uma frase que dizia:

“Não é vergonha mudar de ideia várias vezes, é vergonha não ter ideia para mudar”

E na hora, de cara eu concordei, afinal, somos seres em evolução, mas depois de pensar melhor eu percebi que embora até certo ponto essa frase talvez faça muito sentido, se formos olhar por outro lado, talvez ela se torne um problema.

Se partirmos do ponto em que podemos simplesmente ficar mudando de ideia a cada minuto, então em que estamos nos baseando?

Estamos de fato mudando de ideia por que pensamos melhor, analisamos os fatos, pesamos as consequências e enxergamos a verdade ou apenas mudamos de ideia por que “é normal mudar de ideia”?

Claro que o processo de amadurecimento causa uma mudança de pensamento, mas apenas até o momento em que descobrimos quem somos, o que queremos e em que nos baseamos.

Então minha pergunta é:

Sua mudança de ideia é processo de amadurecimento ou falta de conhecimento de quem você é? Até onde isso é amadurecimento ou inconstância?

Se você deixar uma criança de 5 anos decidir algo provavelmente ela irá se arrepender depois, afinal ela não tem maturidade para escolher ainda, e as chances dela escolher e depois mudar de ideia é muito grande, faça o teste: Leve uma criança até uma loja de brinquedos deixe a escolher e depois de comprar mostre outro brinquedo tão interessante quanto o dela e então as chances dela querer trocar o brinquedo serão altas, tudo isso por que ela não tem maturidade de fazer uma escolha, ela ainda não está preparada para formular uma opinião concreta.

Infelizmente as vezes nos comportamos como uma dessas crianças.

Então eu te pergunto mais uma vez...

Suas mudanças têm a ver com o seu processo de amadurecimento ou com a sua falta de certeza na sua identidade?

Em Efésios 4: 14 está escrito: “O propósito é que não sejamos mais como crianças, levados de um lado para o outro pelas ondas, nem jogados para cá e para lá por todo vento de doutrinas e pela astúcia e esperteza de homens que induzem ao erro”.

É hora de sabermos o porquê de nossas escolhas.

É hora de sermos pessoas firmadas em rochas e não carregadas por ondas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é extremamente importante, Comente!